15/03/2015

* Para pensar: Geração amar de menos! ♥

postado por Carol Daixum




"Obsessão e descontrole são doenças sérias e merecem respeito e tratamento, mas batizar isso de 'amar demais' é uma romantização e um desserviço às mulheres e aos homens. Fica implícito que amar tem medida, que amar tem limite, quando na verdade amar nunca é demais. O que existe são mulheres e homens que têm baixa auto-estima, que têm níveis exagerados de insegurança e que não sabem a diferença entre amor e possessão. E têm aqueles que são apenas ciumentos e desconfiados, tornando-se chatos demais. 

Mas se todo mundo concorda que uma patologia pode ser batizada de "amor demais", então eu vou fundar As Mulheres que Amam de Menos, porque, pelo visto, quem é calma, quem não invade a privacidade do outro e quem confia na pessoa que escolheu para viver também está doente."

(Por Martha Medeiros) 

Eu não sou uma expert em relacionamentos amorosos. Não mesmo! Geralmente os meus sempre vão para o espaço e eu nem sei o motivo. Mas através de pequenos tapas na cara que a vida me deu, espero do fundo do meu coração que eu faça parte da geração As Mulheres que Amam de Menos e que o meu futuro príncipe da vida real faça parte do grupo Os Homens que Amam de Menos. Para mim, não existe nada mais romântico e bonito do que um casal que, acima de tudo, respeita um ao outro. E quando eu digo respeito, falo no geral. Para mim, não adianta nada o cara me amar "mais que tudo", se não confia em mim. Se não respeita a minha privacidade e por aí vai. Claro, que nada é perfeito. Uma vez ou outra vai rolar uma desconfiança, um ciúme e uma insegurança. Mas nessas horas, espero sempre escolher conversar com ele e não ficar remoendo o que me despertou todas essas sensações ruins (espero o mesmo dele). Enfim, que assim seja! ;-)

Ah! Lembrando que essa é a minha opinião e não uma regra. Não existe o certo e o errado e, sim, o que deixa você mais leve e feliz. 

Podem opinar à vontade, ok? 

Um beijo, 
Carol. 


27 comentários:

  1. concordo com vc!
    O mais bonito é que se respeitem né
    beijinhos, Rê
    http://blogsonhosdeverao.com.br/

    ResponderExcluir
  2. tbm acho que amor é fundamentalmente uma relaçao de troca e respeito mutuo

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  3. Ah. Eu acho que eu sou um homem que amo demais, e acabo me machucando por causa disso, pois nem sempre o sentimento é recíproco, e eu acabo exigindo muito dos amores, amigos, família etc, e acabo me entristecendo por causa disso.

    http://www.jj-jovemjornalista.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acontece, eu também acabo me prejudicando muito. Mas acho que a questão não é nem exigir e tal. A questão é quando um (ou os dois) perde o respeito, sabe? Mas enfim, um dia vai! ;-) beijocas

      Excluir
  4. A martha arrasa, apenas. Se eu pudesse absorver as ideias de qualquer pessoa no mundo, queria a cabeça dela dentro da minha AGOOOOOOOOOOORA!

    talvez eu também queria sair do de mais e ir pro de menos. É mais saudavel, mais recíproco, menos sufocante

    beijo
    beinghellz.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gosto muito dela. ^^ Sem dúvida, Hellz. Não é uma tarefa fácil, mas acho que é mais saudável mesmo. Nenhum relacionamento é perfeito, claro. Mas pequenas atitudes podem melhorar muitas coisas. Beijocas ^^

      Excluir
  5. Claro, Carol! Apesar de eu não ser fã número 1 da Martha, há grande coerência no argumento dela. Amor não tem medida, e essa é a graça. Amar sem limites e sem tamanho. A única linha e medida que deve existir é o respeito mútuo entre as pessoas. E respeito leia-se confiança, lealdade, admiração e todas essas coisas básicas pra que um relacionamento a dois funcione de maneira saudável, tranquila, e com amor! :*

    www.eususpiro.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo totalmente, Katherine. Esse é o ponto da questão, né? Amar sem medida vale (e muito), mas vale muito mais amar com respeito. ^^ Beijocasss

      Excluir
  6. gostei muito do texto e concordo! eu sou das mulheres que amam demais... :)

    ResponderExcluir
  7. Ameeeei a citação da Marthinha e seu comentário friend, concordo em numero, gênero e grau! Se ser desconfiado, ciumento, possessivo é amar demais, eu amo de menos e o Ramon também, pra mim, isso não se chama "amar de menos", se chamar "ter um relacionamento saudável e acima de tudo, CONFIAR", independente da situação e da briga em questão, se a confiança existe a briga é resolvida, se não existe, o relacionamento nunca da certo. Beijoka friend! saudades =/ <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo em número, gênero e grau também, friend. Ter uma relacionamento saudável é o que vale. E a confiança é fundamental. Saudades também!! Ando meio sumidinha, mas é a culpa dessa vida que não segue os nossos planos direitinho. Mas estou de volta. Beijocas <3

      Excluir
  8. Assino embaixo e sigo neste novo e delicioso caminho de amar na medida... nem mais, nem menos, mas a dose certa que nos faça felizes. E que assim sejamos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém, amiga! ;-) Dose certa é fundamental. ^^ beijooo

      Excluir
  9. Oi Carol!!

    Tão difícil falar sobre relacionamento, não é? Eu fui treinada por um pai terapeuta especializado em relacionamentos e vou te falar que bato a cabeça muitas vezes, viu! rsrs Acho também pq insegurança faz parte do ser humano... medos, incertezas... E a gnt tem mais é que aprender...
    Vale levantar essa bandeira para relacionamentos mais saudáveis e felizes! rsrs

    Bjinhos
    JuJu
    www.asbesteirasquemecontam.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito mesmo, Juju. A insegurança faz parte e acho que ser seguro demais atrapalha também. Mas o melhor é tentar ter um relacionamento saudável e feliz, mesmo com essas coisas chatinhas que atrapalham. E o mais importante: ter confiança e respeitar sempre o outro e a gente mesmo, né? beijocas!! p.s: seu pai atende aqui no Rio, Juju? hahaha Acho que ter um pai assim pode ajudar muitas vezes, né? Pelo menos na maioria hehehe!

      Excluir
  10. Me identifiquei tanto na sua postagem sabia ?! Antes de eu encontrar a pessoa que hoje é meu marido, sofri tanto, quebrei a cara tanto, que nem sei dizer e quando eu havia desistido meu príncipe apareceu.
    Beijos
    www.estilogisele.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Gi. É, a gente quebra muito a cara, mas um dia aparece o príncipe real. Um dia o meu vai aparecer, assim espero. ;-) beijoca

      Excluir
  11. Oi, Carol!
    Tô passando aqui pra agradecer a sua visita lá no blog (há um tempinho) e dizer que estamos de volta!
    Essas coisas de amor são complicadas.. sempre acreditei muito, mas depois de uns acontecimentos to um pouco desacreditada.. Mas sei que é fase, passa! Tudo muda quando a gente encontra alguém que faz o nosso coração bater mais forte né?
    Beijocas!

    http://damnmaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagina. Obrigada pela visita e vou dar uma passadinha novamente no seu cantinho. ;-)
      São complicadas mesmo. Eu estou na mesma, mas acredito que seja uma fase mesmo. Um dia a gente encontra algum príncipe da vida real e voltamos a acreditar novamente. ^^ beijocas

      Excluir
  12. Ciúmes, está na lista de 101 coisas em 1001 dias. Sou bem ciumentinha, pego no pé, chata pra c"ralho. Já o namorado é tranquilão, na dele, e tenho sorte por isso, quero melhorar por ele. Não é fácil, mas estamos na luta rs.
    Beijos
    www.vireiprincesa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também sou ciumentinha, mas acho que independente de qualquer coisa, temos que respeitar o espaço do outro e confiar acima de tudo. E nada melhor do que conversar nessas horas, né? ^^ beijoca

      Excluir
  13. Concordo super com você! Não gosto desses relacionamentos onde um se sente o dono do outro, e sem dúvidas a confiança tem que ser a base de qualquer relação. Se amar de menos é respeitar quem você ama, então me orgulho de dizer: eu faço parte do clube dos que amam de menos!
    Adorei o seu post!
    beijos.
    http://lugaaraosol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aí, Amandita! Independente de qualquer coisa, temos que respeitar o outro e confiar. Se algo aparecer, nada melhor do que uma conversa. ;-) Beijocas

      Excluir
  14. Abalou, friend!
    Nesse caso, menos é mais.
    Mais feliz, mais em paz, mais amor e mais noites de sono sem pensar em tudo o que pode dar errado e em desconfianças.
    Já já seu príncipe chega aí.
    :D
    Quem sabe ele não é cuiabano? Hahaha.

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fato, friend! Menos é mais, nesse caso mesmo! ;-)
      Quem sabe não arrumo um no dia do seu casório, né? Manda o Caio arrumar um amigo solteiro hahaha! Beijocas ^^

      Excluir
  15. Eu estou longe de ser expert em relacionamentos, mas estou com meu namorado há 6 anos e 7 meses e nos damos muito bem. Claro, brigamos, discutimos, pensamos em terminar, mas sempre optamos por seguir juntos, apesar das adversidades da vida. Nunca é fácil, mas escolher o fácil não combina muito com a gente hahah Acho que o importante é respeitar o espaço do outro e dar suporte nos momentos bons e ruins... Enfim, preciso muito te pedir desculpas, né, eu sei. Eu não consegui escrever o texto, tô num bloqueio criativo sério (inclusive, preciso entregar MUITOS croquis pra amanhã e ainda não consegui fazer). Preciso superar isso e começar a fazer as coisas, mas ainda não sei como. Espero que não me odeie pra sempre, Carol!


    Beijos
    Brilho de Aluguel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thay, nenhum namoro é perfeito, né? Mesmo com as brigas e tal, o importante é sempre conversar, respeitar e confiar. ;-) Quanto ao texto para o Projeto, fica tranquila. Quando puder, manda. Te entendo completamente, porque eu também tenho esse bloqueio criativo! Beijocas!!!

      Excluir